• O nascimento
  • A Associação dos Fiscais do Estado do Ceará (ASFEC), atual UFFEC, foi fundada em 24 de outubro de 1959. Considerada de Utilidade Pública pela Lei No. 5599, de 29 de setembro de 1961. Criada para representar e defender os “Fiscais do Estado”, inicialmente em face das acusações injustas, comumente feitas pelos políticos contrários aos governadores, no final da década de 50 e em meados da década de 60.

    Mudou seu nome para União dos Funcionários Fiscais do Estado do Ceará, em setembro de 1960, quando a ela se incorporou a Associação dos Exatores do Ceará. O termo “exator” correspondia a um cargo então existente na antiga estrutura da Secretaria da Fazenda, a quem competia dirigir as exatorias, órgãos que passaram a ser denominados de “coletorias”. Em face disso, o nome de exator foi mudado para coletor.

    Outra preocupação primordial da UFFEC referia-se à saúde dos fazendários. Assim, em 1966, diante de uma classe não recebia a assistência médico-hospitalar de que necessitava, em virtude da ineficiência do órgão público estadual responsável pela assistência à saúde dos servidores públicos estaduais, a UFFEC inseriu em sua estrutura administrativa o Departamento de Saúde.

    Coube a Luiz de Carvalho Jucá, em 1967, adquirir o terreno onde mantem-se presentemente. Nela existia uma pequena casa (parte de tijolo e parte de taipa), onde eram fornecidas bebidas e apetitosos tira-gostos. Este espaço foi acrescido de um pequeno galpão, duas salas, copa e cozinha pequenas, dois banheiros, um com toalete para mulheres. Numa das salas ocorriam as reuniões da Diretoria. Em 1969, na gestão de José Barroso, a UFFEC ganhou a posse de um terreno de marinha na praia da Caponga, que passou muito tempo desocupado.
  • Década de 70
  • Logo após haver assumido a presidência, Arimatéia Barroso decidiu erguer uma sede mais suntuosa, com o integral apoio da Diretoria. Assim, em fevereiro de 1970, contratou arquiteto para elaborar a planta da nova sede. A seguir, foi constituída a Comissão de Construção integrada pelos colegas Francisco Ximenes Freire Sobrinho, Eduardo Leite Albuquerque e José Gotardo Freire. A Comissão contatou imediatamente a empresa PREMOCASA - Premoldados de Concreto, Ind. E Comércio Ltda. para início da construção. No dia 10-6-1970 começava a construção da nova sede, com uma área térrea construída, tendo sobrepostos dois andares, uma piscina infantil e outra para adultos.
    O término do mandato de José Arimatéia Barroso (1970-1972), não arrefeceu o andamento das obras de construção da sede da UFFEC. Sucedeu-o Luiz Ximenes Barbosa, que deu andamento às obras de edificação da Sede I, na rua Frei Mansueto, 106. Na planta original havia certa diferença em relação à construção atual. A planta original apresentava a fachada principal no sentido da Frei Mansueto. De tal sorte, cogitou-se de investir primeiramente na parte térrea, por representar o espaço que acolheria adequadamente a administração e a parte social. Era a chamada fachada principal, erigida sobre o espaço em que hoje se acham as duas piscinas. Assim, a denominada fachada principal foi inaugurada em 23 de Outubro de 1973, como parte das comemorações do 13º aniversário de fundação da UFFEC. Em 1974 a sede passa a operar como Posto de Vacinação contra a Meningite
  • Década de 80
  • Ao assumir a direção da UFFEC, em 1981, o presidente Lauro Augusto Marinho sugeriu aos colegas de Diretoria a venda do terreno da Caponga por considerar quase impraticável a administração. Em seu lugar, comprou uma quadra de terra na praia do Pacheco, município de Caucaia, onde se acha construída a Sede II.
    Após receber do então prefeito de Juazeiro do Norte Manoel Salviano, em 1984, a doação de um terreno, no bairro Lagoa Seca, o presidente Edílson Teixeira iniciou os primeiros benefícios naquela área – de modo a configurar a posse do imóvel doado. Mandou cercar toda a área e plantar grama num espaço que ainda hoje serve como campo de futebol. Aos poucos foram feitos outros beneficiamentos.
  • Década de 90
  • Pensando na saúde dos fazendários e de sua ação social a direção da UFFEC colocou no inicio dos anos 90 em efetivo funcionamento a Caixa dos Fazendários (CAFAZ), constituída em 31 de julho de 1990 e implantada no dia 15 de fevereiro de 1991. A CAFAZ passou a funcionar no Edifício Laerte Fernandes (Centro dos Exportadores do Ceará), na Av. Alberto Nepomuceno, 77, 1º. Andar, prédio alugado à SEFAZ. Ali, para oferecer maior credibilidade aos fazendários, a UFFEC fez instalar dois gabinetes dentários, contratando dois competentes odontólogos para atender seus associados e familiares.
    Determinante foi o apoio do Dr. João de Castro, Sub-Secretário da Fazenda, designado pelo Dr. Francisco José Lima Matos, titular da Pasta Fazendária. Dr. João foi um grande incentivador dos fazendários a fazerem parte da CAFAZ, estímulo fundamental para o aumento do número de usuários. Embora em uma das reuniões preparatórias um fazendário sugerisse, ao invés de CAFAZ, a denominação UFFEC SAÚDE, nossa sexagenária entidade – para não transparecer egoísmo – decidiu pela denominação de Caixa de Assistência aos Funcionários Fazendários Estaduais do Ceará. Em 1994 iniciou-se a construção efetiva da Sede II, no Pacheco, gestão de José Ferreira Lima. A continuidade ocorreu já com Luiz Pontes, nos anos 1998-99.
  • Anos 2000
  • Na gestão de Edson Barbosa Lima, a Diretoria passa a investir bastante na unidade II, onde é mantida uma boa praça de esportes e duas piscinas, uma das quais semiolímpica, inauguradas em 2007. Há também um salão social, com uma sala especial para a Diretoria, duas salas conexas, banheiros masculino e feminino, uma cozinha e casa de morador. Também foi construída uma grande quadra poliesportiva.
  • Atualmente
  • A partir de 2017, a Diretoria reposiciona a entidade. E a UFFEC queremos ser pede passagem à UFFEC que fomos e ainda somos. É a UFFEC se redescobrindo para retomar o brilho doutrora, com pujança e senso empreendedor. Benvinda a UFFEC do futuro!