Marcos históricos

Fatos que marcaram a história da UFFEC

1. Visita do governador e César Cals
Antes de ser diplomado – e logo após ter sido escolhido para suceder ao Dr. Plácido Castelo na chefia do Executivo Cearense, o Cel. César Cals de Oliveira Filho, ao chegar a Fortaleza, contatou por telefone o então presidente da UFFEC, José Arimatéia Barroso, falando do seu firme propósito de manter contato pessoal com a nossa Diretoria. Disso, já havíamos sido informados, por telegrama, pela Associação dos Fiscais do Estado de Pernambuco - ASFEP, oportunidade em que aquela coirmã estimulou a mantermos contato direto com o futuro governador cearense. Assim, para atender a pretensão do futuro titular do executivo alencarino, Arimatéia Barroso, no uso de suas atribuições legais, convocou reunião extraordinária da Diretoria para o dia 13 de julho de 1970, às 16 horas, extensiva aos componentes do Conselho Superior e ao funcionalismo da Fazenda como um todo. Naquela data, ainda se achava em construção a atual sede da Rua Frei Mansueto. A reunião ocorreu onde se acha o atual salão social, à época ainda no piso morto, abaixo das placas de cimento armado e dos vergalhões dos andares superiores. O comparecimento dos fazendários à reunião foi bastante expressivo.

Logo à sua chegada, o ilustre visitante foi recebido com palmas, o que lhe deu a ideia de que a sua presença entre nós era demais grata. Após a habitual apresentação aos presentes, o presidente Arimatéia Barroso passou a palavra ao ilustre visitante, que iniciou o seu pronunciamento, desta maneira: “Agradeço-lhes a agradável recepção. E igualmente sou grato ao presidente desta entidade, que os convocou para esta reunião extraordinária. Isso é muito estimulante para mim, sobretudo porque tudo isso vem ao encontro do propósito de governar o Estado do Ceará, minha querida terra natal, de mãos dadas com a Secretaria da Fazenda. Com tal objetivo, tudo farei para que possa desfrutar sempre da solidariedade da valorosa classe fazendária cearense ...”.

Aquilo que aos ouvidos dos pessimistas poderá ter soado como “simples palavras ao vento” transformou-se em efetiva realidade. Assim, em toda a sua gestão à frente do Executivo Estadual, o governador César Cals manteve a prometida parceria com a SEFAZ. Começou pela implantação de modernos métodos de administração, com treinamentos para os servidores, inclusive na área da informática, valendo destacar que foi precisamente no governo de César Cals que a Sefaz recebeu os primeiros computadores. Também naquele período foram ministrados treinamentos para os servidores fazendários na área de informatização. Por justiça, ressaltamos que o timoneiro das mudanças foi o senhor Josberto Romero de Barros, técnico do Ministério da Fazenda, nomeado pelo governador César Cals, para o cargo de Secretaria da Fazenda. A política salarial foi melhorada, visando a estimular o bom desempenho de nós servidores.

2. A luta da UFFEC para absolver colega de Jaty na década de 60
Fiel à ideia para a qual instituída, a Associação dos Fiscais do Estado do Ceará (ASFEC) – a União dos Funcionários Fazendários Estaduais do Ceará (UFFEC) dos dias presentes – esteve sempre empenhada na defesa dos seus associados, quaisquer que fossem os riscos ou ameaças que estivessem sofrendo. Desta maneira, em meados dos anos sessenta, um colega de classe foi levado às barras dos tribunais, acusado da morte de um embusteiro que, estando a transportar grande carregamento de mercadorias – e apressado que estava – entendeu que as vistorias eram feitas de forma vagarosa e, assim, investiu de faca em punho contra o chefe do Posto Fiscal do distrito de Jati. Quando a turma do “deixa disso” ousou interpelá-lo ele arremeteu-se contra os demais servidores do posto e contra os próprios policiais. Houve troca de tiros e, ao final, o valente caminhoneiro foi baleado, do que resultou o óbito. As acusações foram injustamente feitas contra o nosso companheiro fazendário, chefe do Posto Fiscal, cenário do lastimável conflito. Ele foi processado, indo a julgamento no Fórum Clovis Beviláqua, então situado entre a Catedral Metropolitana e o Quartel da 10ª Região Militar.

A UFFEC, então, mobilizou-se, paralelamente a instituição à qual o colega fazendário era vinculado, finalmente logrando o veredicto de absolvição, por unanimidade dos jurados. Aquilo representou não apenas a vitória do acusado, mas de toda a categoria fazendária cearense.

3. Constituição da Cafaz
Não foram poucos os percalços que a direção da UFFEC enfrentou para colocar em efetivo funcionamento a CAFAZ, constituída em 31 de julho de 1990. Porém, somente foi implantada no dia 15 de fevereiro de 1991. Começamos a funcionar no Edifício Laerte Fernandes (Centro dos Exportadores do Ceará), na Av. Alberto Nepomuceno, 77, 1º Andar, prédio alugado à SEFAZ. Ali, para oferecer maior credibilidade aos fazendários, a UFFEC fez instalar dois gabinetes dentários, contratando dois competentes odontólogos para atender seus associados e familiares.

Determinante foi o apoio do Dr. João de Castro, subsecretário da Fazenda, designado pelo Dr. Francisco José Lima Matos, titular da Pasta Fazendária. Dr. João foi um grande incentivador dos fazendários a fazerem parte da CAFAZ, estímulo fundamental para o aumento do número de usuários. Embora em uma das reuniões preparatórias um fazendário sugerisse, ao invés de CAFAZ, a denominação UFFEC SAÚDE, nossa sexagenária entidade – para não transparecer egoísmo – decidiu pela denominação de Caixa de Assistência aos Funcionários Fazendários Estaduais do Ceará.

4. Governador do Estado, Tasso Jereissati, esteve na UFFEC
Durante o processo de constituição da Caixa dos Fazendários a UFFEC trouxe para sua linha de frente a proteção à saúde dos fazendários. Desde a década de 60, a entidade encampou a luta, buscando oferecer serviços que atendessem, ou pelo menos minimizassem, a demanda por atendimento médico dos seus associados.

O reconhecimento deste esforço aconteceu após a instalação de uma nova sala de atendimento que ficou conhecida como “terceiro gabinete médico”, que passou a ser utilizado como Posto de Vacinação. À vista disso, quando de uma visita da Comissão Coordenadora da Campanha, o Departamento Médico da UFFEC foi denominado de Posto Modelo para a campanha de vacinação que se aproximava.

Por conta do ocorrido, a nova campanha de vacinação foi aberta em nosso Departamento Médico, com as presenças do então governador Tasso Jereissati, do prefeito em exercício, Juraci Magalhães (por sinal formado em medicina), dos Secretários de Saúde do Estado e do Município, Dr. César Penaforte e Dra. Ana Maria Cavalcante, além do presidente da LBA, Dr. Leorne Belém. Àquela época, a UFFEC era presidida por Clementino Pereira. O Diretor do Departamento de Saúde da UFFEC era o Luís Pontes. Na presidência do SINTAF encontrava-se Francisco Wilson Morais e na presidência da AAFEC, Carlos Alberto Mendonça.

Isso, por um lado, nos agradou sobremaneira; por outro, estimulou a que tentássemos criar uma sociedade que propiciasse a assistência médico-hospitalar para os fazendários cearenses.

A partir de então, fortaleceu-se, entre os dirigentes da UFFEC, o desejo de constituição de um plano de saúde nosso. Foi justamente em função dessa ideia que logramos instituir, em 1991, a entidade que representa a maior conquista da família fazendária em todos os tempos, que é a Caixa de Assistência dos Fazendários Estaduais do Ceará, ou simplesmente CAFAZ, uma das mais acreditadas entre os profissionais da área de saúde do nosso Estado.